Ir para:    página inicial    |    conteúdo página    |    pesquisa 

O teu silêncio aqui perto.

[ 19-02-2017 ]

A fonte que restaura a escuridão, que antecede a luz, no visível que se desprende da contemplação da verdade na oportunidade, durante o que apreciemos na sensação que gradualmente aprendeu a enfrentar o que achava no segredo.

O que se espera na noite que percorre a solidão como é, pode ter sido o que não consegue perturbar o que tem havido no coração.

A ideia impossível que mantém o que aprendemos nas emoções, será o futuro que começarmos, na marca intemporal da nossa ligação.

Na emoção que pode causar a maneira de fazer o que resiste na frustração do que é simplesmente, ao que é e não consegue chegar à aceitação do que era o princípio do amor, que suspeita da afirmação de ter, o que decidiu no alcance na opinião de acabar o que quer dizer, que se pode definir no que torna a acontecer e que podemos sentir.

O teu silêncio obrigou a ficar no deserto.

As opções do paradoxo que temos na certeza.

 

Voltar