Ir para:    página inicial    |    conteúdo página    |    pesquisa 

O sentido para a vida...

[ 14-06-2009 ]

Era uma vez...uma luz, que vivia no palácio da ignorância. Era uma luz muito bela, que vivia do doce dos sentidos....e da vida....

Era uma bela luz, de olhos esverdeados e calor imenso. Sorria à vida…e às cores....Os dias perdiam-se na noite e a noite aquecia-se nos sonhos.....

Mas....não sabia que vivia no castelo da ignorância...Pensava que tinha tudo...mas afinal o tudo era apenas um pouco...Pensava que tinha o que mais importante poderia ter, mas apenas tinha o acessório...

No palácio da ignorância...pensavam que eram felizes...pensavam que tinham sempre razão...pensavam que eram sempre os donos da verdade....

Um dia passou por aquele castelo...um humilde viajante, que visitava aquela cidade quando em vez.....quando sentia que havia trabalho a fazer....

Era o viajante do amor....que pouco ou nada tinha, mas que pensava que tinha sempre algo para ajudar os outros...Sabia que na terra do Tempo, cada dia era uma oportunidade para crescer e saber viver...A vida sempre acontecia....Compreendia que a plenitude estava dentro dele e que exalava esperança e bondade para os que encontrava....O que sabia, procurava ensinar aos outros....para que mais pessoas encontrassem o sentido da vida....

O viajante do amor olhou para a luz, do palácio da ignorância, olhou-a de olhos nos olhos.....e só então a luz se apercebeu que havia mais para além do óbvio....que não sabia qual era o sentido da vida, nem qual o caminho para o encontrar....

O viajante do amor...intrigou a luz, levantou-lhe duvidas......mas ela continuou ainda no palácio da ignorância....

Um dia, a bela luz, perdeu tudo o que tinha...e ficou...sem nada....Nada tinha então....

E os medos apareceram....A caverna do medo envolveu-a por completo.....tornou-se uma luz que não iluminava, que tinha medo de tudo, até de viver....Os seus amigos desapareceram...porque baseavam a sua amizade...no ter....Uma vida do ter...ter, ter, ter....

A luz vivia agora na caverna do medo, sem perceber que todos nós temos uma luz muito forte no interior...a luz do coração...............

O círculo do medo....fazia-a mergulhar mais e mais na caverna do medo......

No entanto......um belo dia, à porta da caverna do medo, apareceram três cavaleiros: os cavaleiros do Tempo. Eram os cavaleiros do Passado, do Presente e do Futuro....

Timidamente, a luz espreitou à porta da caverna do medo e...ouviu então o Sr. Sol:

- A vida é demasiado curta para que a não saibamos viver....Onde está o sentido da sua vida? Que caminho escolheste? Ouve os cavaleiros do Tempo e sente o vento da mudança....

O cavaleiro do Passado mostrou então a sua música...Era uma música de mágoas e, algumas alegrias…

O Sr. Sol olhou então a menina luz e disse-lhe:

- Se estiveres sempre a ouvir esta música...então é porque já não sabes viver...O cavaleiro do passado deverá ser apenas o professor para saber viver...

E o Sol continuou a falar:

- O cavaleiro do presente é o único que é vida....De facto, não existe passado, nem futuro...Só poderemos viver o presente....

O cavaleiro do futuro mostrou então naquilo que era.....uma sequência de ilusões e esperanças, que são apenas realidade virtual...Não existe, está para além da realidade, numa dimensão intemporal, que poderá nunca existir...Ou melhor, o futuro existe apenas no nosso pensamento....

Enquanto os três cavaleiros desapareciam...o Sol continuou a falar:

- Temos que mudar o que há para mudar! Mudar o que nos levará ao sentido da vida! O sentido da vida está na maneira como se vive o momento presente...saber viver, em plenitude, em intensidade, num sentido de dar....Fala com o coração! Vive com o coração! Faz do coração o teu sentido da vida! Viver é pincelar cada momento da nossa vida, com o coração....

O Sol escondeu-se por detrás das nuvens da vida.....e surgiu então o vento da mudança....Durante dias, durante meses....o vento da mudança soprou forte...até que a caverna do medo se desmoronou.... e apareceu então um coração imenso a palpitar na luz, que, de início surgia trémula...mas que, a pouco e pouco, se tornou forte e brilhante....e começou a iluminar tantos recantos de escuridão.....

A luz percebeu então que o sentido da vida....se inicia no interior, quando deixamos que o coração inunde todos os centímetros do nosso ser, numa vida de boa vontade e entrega aos outros....numa dimensão que ultrapassa sempre o próprio Eu....

Desde então.....se soube que existe o sentido para a vida!............

 

Voltar